Estudo do IBEVAR indica crescimento de apenas 0,93% para o varejo, com indicadores positivos para categorias de informática e eletroeletrônicos

Os impactos da pandemia do novo coronavírus (COVID-19) devem desacelerar significativamente as vendas no 2° trimestre de 2020, considerando o índice do varejo ampliado. Segundo dados da Intenção de Compra, do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Consumo (IBEVAR), as projeções, a partir de dados reais, apontam para um crescimento de apenas 0,93%, ante o 1º trimestre. Quando comparado com a mesma base de 2019, a expansão foi de 1,36%. Em manutenção de tendência, projetava-se alta de 3,42% nas vendas para 2020.

Em comparação ao ano anterior, o estudo do IBEVAR indica queda para as categorias de linha branca, eletrodoméstico e telefonia. A categoria de cine e foto e moda, embora revelando uma disposição maior que a de 2019, também mostra nítida tendência de retração.

Apenas no caso das categorias de informática e eletroeletrônicos é possível notar uma disposição de compra acima da apresentada em 2019 e crescente. “Possivelmente, esta demanda está relacionada à produtos muito utilizados durante o isolamento social, como celulares, notebooks, tablets”, avalia o economista e presidente do IBEVAR, Claudio Felisoni de Angelo.

Sobre o IBEVAR
O IBEVAR – Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo – é uma instituição sem fins lucrativos, que se propõe a produzir conteúdo no setor de Varejo & Consumo, promover networking entre executivos que atuam nessa área e gerar negócios entre os participantes. O IBEVAR atua em conjunto com o PROVAR/FIA no desenvolvimento dos executivos de varejo. www.ibevar.org.br