Pesquisa revela desaceleração nas vendas de 6 entre 8 produtos de bens duráveis

O isolamento social que está em curso atualmente, como uma medida preventiva ao novo coronavírus, tem tido um impacto majoritariamente negativo na economia. Muitos negócios deixaram de funcionar, reduziram sua operação ou passaram a trabalhar apenas por delivery, como restaurantes. Nesse cenário de muita incerteza, parte da população sofreu redução de salário ou até mesmo perdeu o emprego. Por essa razão, o Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (IBEVAR), traz algumas dicas para cuidar das finanças pessoais nesta crise.

SÃO PAULO – Em um Dia das Mães marcado pelas restrições impostas para conter a pandemia de coronvírus, pesquisa do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (Ibevar) revela que apenas duas categorias de bens duráveis, smartphones e refrigeradores, terão um bom desempenho de vendas para a data.

Os dados apontam um crescimento nas vendas de 48,7% para smartphones e 13,8% em refrigeradores, em comparação com o mesmo período de 2019.

Segundo o economista e presidente do Ibevar, Claudio Felisoni de Angelo, o aumento das vendas dos dois produtos pode ser explicada a partir dos novos hábitos sociais imposto pela quarentena, que isola em casa boa parte das famílias brasileiras.

“A explicação bem-humorada é a necessidade dos filhos de se comunicarem com as mães para pedir que estoquem alimentos. Nesses tempos de pandemia, a homenagem será feita via mensagem, vídeo ou telefonema, quem sabe no celular novo. Já as vendas de alguns produtos para o lar, como os refrigeradores, crescem bastante justamente pela quarentena e o uso frequente por quem está em casa”, avalia Felisoni.

Do outro lado, boa parte dos produtos que compõem a amostra sofrem uma forte desaceleração nas expectativas de vendas. O item mais impactado negativamente, na comparação anual, é a máquina de lavar – com queda 51,5% -, seguido por perfumes (41,1%) e notebooks (40%).

O estudo revela ainda baixa nas vendas de outros produtos de bens duráveis, como ), TVs (23,2%) e micro-ondas (6,5%).

Felisoni pontua que a pandemia no novo coronavírus desestabilizou o país e a confiança do consumidor, que em um momento de incerteza, prefere não comprometer o orçamento com datas sazonais – o que explica a queda nas projeções de vendas da maioria dos produtos pesquisados.

A pesquisa acompanha por 30 dias um conjunto de oito bens duráveis através de levantamento de informações de redes sociais, comentários de notícias e volume de buscas para capturar as tendências sazonais e intenção de compra impulsionadas por datas relevantes para o comércio, como é o caso do Dia das Mães.

Sobre o IBEVAR
O IBEVAR – Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo – é uma instituição sem fins lucrativos, que se propõe a produzir conteúdo no setor de Varejo & Consumo, promover networking entre executivos que atuam nessa área e gerar negócios entre os participantes. O IBEVAR atua em conjunto com o PROVAR/FIA no desenvolvimento dos executivos de varejo. www.ibevar.org.br