O Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (IBEVAR) realizou nesta quarta (31), o Pós NRF 360 Graus. Este foi o primeiro dos quatro encontros programados para este ano, cujo objetivo é transmitir as principais tendências e conhecimentos adquiridos durante a feira realizada em janeiro, em Nova York.

O evento apresentou um overview sobre o maior evento mundial do varejo, o Retail’s Big Show. A abertura foi feita pelo responsável pelo Relacionamento Corporativo e Institucional do IBEVAR, Lucas Forte, que falou sobre a importância de participar de uma feira como a NRF e fazer a conexão entre o que é praticado pelo varejo nos Estados Unidos com o que é visto na Europa e aqui no Brasil.

Em seguida, ele passou a palavra para a diretora vogal do IBEVAR e coordenadora acadêmica da Academia de Varejo, Patricia Cotti. Ela destacou alguns números da edição deste ano. “A NRF 2018 contou com, aproximadamente, 35 mil participantes e 134 palestras. E, como nos anos anteriores, a delegação brasileira foi uma das maiores que esteve por lá”, informou.

Patricia começou a sua apresentação destacando a palestra de abertura da feira “Aprenda com a Levi’s: como a startup de 150 anos continua transformando sua marca icônica”, com a presença do presidente da empresa, James Curleigh. “Ele fez uma relação entre as três Leis de Newton e os negócios. O princípio da inércia está relacionado à força dos colaboradores para impulsionar o negócio. A força está atrelada a sobre como fazer a mudança para transformar a empresa. E a ação e reação dizem respeito à importância de trabalhar não só o que está relacionado aos concorrentes, mas, sobretudo, à dinâmica aderente aos consumidores”, explicou a diretora.

Outra palestra que chamou a atenção na abertura da NRF foi a que reuniu empresários que promovem experiência imersiva em seus negócios. Foram eles: “&pizza” (que se preocupa com a alimentação vendida e com os colaboradores, além de promover o forte engajamento com a comunidade e a diversidade); “Story” (loja em formato de revista que se reinventa a cada mês e busca equilibrar o racional e o emocional do consumidor); “Museum of Ice Cream” (busca por um modelo de negócio atemporal, transformar o espaço, explorar sentidos, responder as novas gerações e estimular a criatividade); e “Beauty Pie” (que falou sobre empreendedorismo e, de acordo com a sua fundadora, “ter ideias é ótimo, mas para que elas sejam um sucesso é preciso que sejam muito bem executadas”, contou Patricia.

Também tiveram destaques as palestras “Tendências observadas no varejo – inspiração para a transformação além da Amazon”, apresentada por Kate Ancketill, considerada a melhor palestrante da edição de 2017, que citou alguns cases de empresas como “Walmart”, “John Lewis”, “Lufthansa & Rewe”, “Toyota”, “The Moby Mart” e “Eataly”, entre outras; e “Arianna Huffington – sobre a importância de mudar a maneira como vivemos e como trabalhamos. “O interessante dessa apresentação foi mostrar como a vida está diretamente ligada ao bem-estar e que não é preciso estar ligado em absolutamente tudo durante 24 horas, inclusive em relação ao consumo”, disse Patricia.

Patricia falou também sobre a importância da apresentação da “Deloitte”, que sempre traz informações importantes sobre o setor varejista, com destaque nesta edição para os cenários dos Estados Unidos, China, Japão, Europa e Brasil. “Apesar de o Brasil não ter sido citado de forma efetiva, foi interessante ver a percepção do mercado internacional sobre nós: 2018 é um ano eleitoral, que as reformas políticas são necessárias, o movimento de queda da inflação e que ainda é preciso ter muita cautela em relação ao nosso país”, afirmou.

“Também vale citar as palestras da “Chobani” (como modelo disruptivo); da “Alibaba” (que mostrou a mudança da China de um país de representado por suas fábricas para um mercado consumidor e provedor de soluções) e da “Tommy Hilfiger” (a última da feira  que mostrou que marcas icônicas também devem se preocupar com inovação)”, complementou.

Já as lojas indicadas para visitação em 2018 foram divididas em duas categorias: inovação e design. Para a primeira, foram indicadas a “Story”, “Studio”, “Brooklyn Fare”, “Coach House”, “Dyson”, “Whole Foods Market”, “Amazon Books”, “Everlane”, “Kellog’s NYC”, “Sephora” e “Cadillac House”, entre outras. E para a segunda categoria foram indicadas a “Adidas”, “Balenciaga”, “Bvlgari”, “Calvin Klein”, “Louis Vuitton”, “Nike Soho”, “Tom Ford” e “Hershey’s, entre outras.

Para finalizar, Patricia disse que, diferentemente de edições anteriores, os Millennials deixaram de ser tema de destaque e passaram a ser parte da realidade para o varejo, houve o início dos debates em torno da geração Z e que, agora, o digital está ligado à experiência e não somente como análise de dados ou tecnologia.

O IBEVAR irá realizar outros três encontros para falar sobre a NRF 2018: no dia 22 de fevereiro, será a vez do Pós NRF Gestão de Pessoas; em 22 de março, o tema será “Inovação de Marketing”, e por fim, no dia 26 de abril, serão apresentados alguns cases que mais se destacaram na edição deste ano.

Inscreva-se nos próximos eventos enviando um e-mail para ibevar@ibevar.org.br.